Ponto de Equilibrio

Ponto de Equilibrio

Aprenda como calcular o ponto de equilíbrio financeiro

Seu negócio pode estar vendendo bem, com bons faturamentos, em crescimento e mesmo assim não gerar lucro. A organização financeira e seus apontamentos são fundamentais para avaliar a rentabilidade: é preciso entender como calcular ganhos brutos e monitorar despesas para organizar contas e enxergar o negócio de forma gerencial.

 

Mas o que é o ponto de equilíbrio?

 

O ponto de equilíbrio é uma variável importante do processo de gestão empresarial. Vai além de simplesmente saber o nível de vendas a ser alcançado para não lucrar, tampouco ter prejuízo: ele é um direcionamento para metas de vendas, para a ampliação ou redução da capacidade produtiva, dentre outros itens.

 

 

 

Antes de ir direto ao cálculo, precisamos ter como base outros conceitos que serão fundamentais na definição clara do seu Ponto de Equilíbrio (PE). Sem esses conceitos totalmente compreendidos, não é possível fazer um cálculo preciso.

 

O que são Custos?

 

É todo e qualquer gasto relativo a aquisição ou produção de mercadorias. Eles estão sempre ligados a gastos de produção e vinculados de forma direta a produtos e serviços. Também são gastos relacionados à atividade-fim da companhia.

 

O que são Despesas?

 

São todos os gastos relativos à administração, como a área comercial, marketing, desenvolvimento de produtos e o financeiro. Ou seja, são os gastos necessários para manter a estrutura funcionando, mas que não contribuem diretamente para geração de novos itens que serão comercializados. Em linhas gerais, são consideradas despesas todos os valores gastos com bens e serviços que são relativos à manutenção da atividade-fim da companhia.

 

O que diferencia Despesas de Custos?

 

O primeiro passo para diferenciá-los é ter em mente que o custo tem a capacidade de ser atribuído ao produto final da empresa. Já as despesas são sempre de caráter geral, o que torna difícil vinculá-las aos itens produzidos. Os custos, então, são os desembolsos que podem ser atribuídos ao produto final, e as despesas são de caráter geral, de difícil vinculação aos produtos obtidos.

 

Fixos ou Variáveis?

 

Eles também pode ser classificados em Fixos ou Variáveis:

 

  • Custos ou Despesas Fixas: aquilo que não varia de acordo com o volume (produzido ou vendido); ele é sempre estável.
  • Custos ou Despesas Variáveis: aquilo que varia em função do volume (produzido ou vendido), e cresce ou diminui exponencialmente de acordo com as vendas ou produção.

 

Qual a importância da correta classificação de Custos e Despesas?

 

Entre os principais benefícios de uma apuração correta de Custos e Despesas, podemos destacar a análise de margem de contribuição por produto, que é o valor que sobra da venda ao retirarmos de seu faturamento bruto gastos com deduções de vendas e com o custo de produção ou compra.

De maneira resumida, a margem de contribuição nos diz se vale ou não a pena produzir algo, e não temos como realizar essa análise se não tivermos identificado despesas administrativas separadas do custo de produção.

 

Como encontrar o Ponto de Equilíbrio (PE) do seu negócio?

 

Com o intuito de facilitar esse cálculo, temos um passo a passo simplificado para ajudar nesse objetivo. Seguindo essas diretrizes simples você poderá calcular corretamente o PE de sua empresa.

 

Passo 1: Qual é a margem de contribuição do seu negócio?

 

            Nesta etapa vamos descobrir a margem de contribuição do seu negócio. Ela é uma informação fundamental para chegar ao cálculo do Ponto de Equilíbrio. Chegamos até ela através da fórmula:

 

MC = PV - ( CPV + DV )

 

MC - Margem de contribuição

PV - Preço de Vendas ou Faturamento Bruto

CPV - Custo do Produto Vendido

DV - Despesa Variável

 

            A margem de contribuição é o faturamento bruto da sua empresa no período específico (mês ou ano), subtraindo o resultado da soma entre custo dos produtos vendidos e todas as despesas variáveis.

 

Passo 2: Transforme esse resultado em um índice.

 

            Vamos transformar a margem de contribuição em um índice. Ele vai ter uma referência em um percentual para possibilitar o cálculo.

 

IMC - Índice de margem de contribuição

 

IMC = %

 

Vejamos um exemplo prático:

 

PV = R$ 130,00

CV e DV = R$ 72,50, restando MCU = R$ 57,50, que representa uma MC% = 57,50/130,00 = 44%.

 

IMC = 44%

 

Passo 3: Descubra seu Ponto de Equilíbrio Financeiro.

 

            Agora estamos prontos para calcular o PE. Divida o total de suas despesas fixas mensais pelo índice de margem de contribuição. Você vai chegar a um valor que reflete exatamente o quanto sua empresa deve faturar para pagar todas as despesas fixas e variáveis, sem deixar lucros ou prejuízos.

 

PEF = Despesas Fixas / IMC

 

Vejamos um exemplo prático:

 

Sabendo que minha loja possui uma despesa fixa (DF) de R$ 24 mil e que minha margem de contribuição (IMC) é de 44%, posso calcular meu ponto de equilíbrio (PE) da seguinte maneira:

 

PEF = Despesas Fixas/IMC, ou seja, R$ 24.000,00 / 0,44 = R$ 54,5 mil

 

Isso quer dizer que para cobrir minhas despesas e trabalhar no meu Ponto de Equilíbrio devo ter um faturamento mensal de R$ 54.545,45. Esse resultado me diz quanto preciso faturar para poder, ao menos, pagar todas minhas despesas (sem qualquer lucro).

 

VOLTAR

CONTATO


AGENDE UM DIAGNÓSTICO SEM COMPROMISSO.